COMUNICADO
Informamos que a partir do dia 05 de JUNHO de 2017, o ambulatório geral do IPUB além dos atendimentos via SISREG, abrirá 6 (seis) vagas para avaliação em saúde mental/psiquiatria por semana.
Os interessados deverão chegar toda segunda-feira às 08:00hs e procurar a recepção do ambulatório para o agendamento do atendimento na semana. Lembramos que o ambulatório abre somente às 08:00hs.
Os moradores do município do Rio de Janeiro podem também procurar as Unidades Básicas de Saúde (Clínicas de Família/ Postos de Saúde), próximas à sua residência, para solicitar avaliação pela equipe de referência.
Contamos com a compreensão de todos!

 

Instruções aos Autores

Foco e políticas gerais:

O Jornal Brasileiro de Psiquiatria (JBP) é o periódico oficial do Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IPUB/UFRJ). Ele é o jornal psiquiátrico com maior tradição no Brasil, sendo regularmente publicado há mais de 70 anos.

O Jornal Brasileiro de Psiquiatria esforça-se para publicar estudos de alta qualidade que tenham como objetivo o avanço do conhecimento sobre os transtornos mentais e a melhoria da assistência e cuidado dos pacientes que sofrem destas condições. O Jornal visa

educar e atualizar clínicos, acadêmicos e pesquisadores em psiquiatria, psicologia,

sociologia e em outros campos científicos relacionados à saúde mental.

O Jornal Brasileiro de Psiquiatria publica artigos originais, relatos breves, revisões,

relatos de casos, cartas ao editor e resenhas de livros que sirvam aos objetivos acima

mencionados, como também aqueles com características eurísticas, que possam auxiliar os

pesquisadores a vislumbrar novas linhas de estudo e investigação. Todos os manuscritos

são revisados por pareceristas anônimos o mais rápido possível.

Preparação dos manuscritos

Tipos de artigos aceitos:

O Jornal Brasileiro de Psiquiatria publica os seguintes tipos de manuscritos:

1. Artigos originais – Relatos de estudos originais baseados na excelência

científica em psiquiatria, e que proporcionem um avanço na pesquisa clínica

e experimental. Artigos originais devem conter novos dados, oriundos de

um número representativo de pacientes, utilizando métodos adequados e

confiáveis. Os artigos não devem ultrapassar 4.000 palavras.

2. Relatos breves – Pequenos relatos de estudos originais, avaliações ou

estudos-piloto, contendo no máximo 2.000 palavras e 15 referências.

3. Revisões – Revisões sistemáticas objetivas e concisas desenhadas para reunir

informações relevantes e atualizadas sobre um tópico específico de particular

interesse e importância em psiquiatria e saúde mental. Os autores devem

analisar e discutir criticamente a literatura disponível. Revisões devem conter

no máximo 6.000 palavras.

4. Relatos e séries de casos – Devem fornecer uma curta descrição original

de casos clínicos e estratégias de tratamento particularmente interessantes

para pesquisadores e clínicos. Podemos citar como exemplos a apresentação

incomum de um transtorno conhecido, um tratamento inovador ou um efeito

adverso claramente relacionado a uma medicação epecífica, que nunca havia

sido relatado. Apesar de concisos, os relatos devem trazer um descrição

cronológica detalhada dos casos, destacando sua relevância e originalidade.

Os autores devem fornecer uma extensiva revisão da literatura sobre os

aspectos clínicos e terapêuticos do tópico relatado, comparando-o com casos

similares descritos na literatura científica internacional. Relatos e séries de

casos não devem ultrapassar o limite de 1.500 palavras e 15 referências.

5. Cartas ao editor – São comunicações discutindo artigos recentemente

publicados neste jornal, descrevendo pesquisas originais ou descobertas

científica relevantes. As cartas não devem ter mais de 500 palavras e cinco

referências.

6. Editoriais – Comentários críticos e baseados em evidências feitos por

pesquisadores com grande experiência em uma área específica do

conhecimento, a pedido dos editores deste jornal. Devem conter no máximo

900 palavras e cinco referências.

7. Resenhas de livros – Curtas revisões (no máximo 500 palavras) sobre livros

recém publicados dentro do foco do Jornal Brasileiro de Psiquiatria que

poderiam interessar psiquiatras e profissionais de saúde mental.

Originalidade e autoria

O Jornal Brasileiro de Psiquiatria somente considera para publicação

manuscritos compostos de material original, que não estão submetidos para

avaliação em nenhum outro periódico, ou que não tenham sido publicados em

outros meios. As únicas exceções são resumos com menos de 400 palavras.

Os autores devem identificar tabelas, figura e/ou qualquer outro material

que tenham sido publicados em outros locais, e obter a autorização dos

proprietários dos direitos autorais antes antes de reproduzir ou modificar

esses materiais. Ao submeter um manuscrito, os editores entendem que os

autores estão de acordo e seguem estas exigências, que todos os autores

participaram substancialmente do trabalho, e que cada um deles reviu

e aprovou a versão submetida. Assim, cada autor precisa declarar sua

contribuição individual ao artigo na carta de apresentação (veja abaixo)

Declaração de conflitos de interesse e suporte financeiro

O Jornal Brasileiro de Psiquiatria exije que todos os autores declarem

individualmente qualquer potencial conflito de interesse e/ou qualquer tipo

de suporte financeiro para o estudo obtido nos últimos 3 anos ou em um

futuro previsível. Esta declaração inclui, mas não está limitada à compra e

venda de ações, bolsas, fomentos, empregos, afiliações, royalties, invenções,

relações com organizações financiadoras (governamentais, commerciais, não-

profissionais, etc.), aulas, palestras para indústrias famacêuticas, patentes

(solicitadas, registradas, em análise ou fase de preparação) ou viagens;

independente do valor envolvido. Se um ou mais autores não possuírem

conflitos de interesse a serem declarados, isto precisa ser explicitamente

informado (p.ex. Drs. Leme Lopes e Nobre de Mello não possuem conflitos

de interesse a serem declarados). Os autores interessados em obter mais

informações sobre este tópico podem ler um editorial publicado no British

Medical Journal, intitulado "Beyond conflict of interest", que está disponível

em: http://www.bmj.com/cgi/content/full/317/7154/281.

Os conflitos de interesse e declarações de suporte financeiro devem ser

escritos em uma sessão separada, intitulada "Conflitos de Interesse", após a

sessão "Conclusões".

Questões éticas

O Jornal Brasileiro de Psiquiatria considera a integridade ética a pedra

fundamental da pesquisa científica e da assistência a seres humanos. Assim,

na sessão intitulada "Material e Métodos", os autores devem identificar a

aprovação e o comitê de ética da instituição que revisou o estudo. Ainda,

em caso de estudos envolvendo seres humanos, os autores devem declarar

explicitamente que todos os participantes concordaram em participar da

pesquisa e que assinaram o termo de consentimento livre e esclarecido. Além

disso, os autores devem descrever os métodos empregados para avaliar a

capacidade dos voluntários em entender e dar seu contimento informado para

participar do estudo, além de descrever também as estratégias utilizadas

no estudo para garantir a proteção do participantes. Finalmente, em caso

de estudos envolvendo animais, os autores devem declarar que as normas

institucionais e nacionais para o cuidado e emprego de animais de laboratório

foram estritamente seguidas.

Registro de experimentos clínicos

Antes de subter um manuscrito para avaliação pelo Jornal Brasileiro de

Psiquiatria, os ensaios clínicos precisam ser registrados em uma base pública

de registros de experimentos clínicos. Um ensaio clinico é aqui definido como

qualquer pesquisa que recruta prospectivamente seres ou grupos de humanos

para receber uma ou mais intervenções (farmacológica ou não), a fim de se

avaliar seu impacto na saúde. Estes ensaios podem ser registrados antes ou

durante o recrutamento dos voluntários. Para ser considerada válida, uma

base de registros de ensaios clínicos precisa ser acessível gratuitamente ao

público, deve possuir mecanismos que possibilitem ser pesquisáveis

eletrônicamente, deve ser aberta para o registro de todos os ensaios

prospectivos e gerenciada por uma agência sem fins lucrativos. Alguns

exemplos são a National Institutes of Health Clinical Trials (http://

www.clinicaltrials.gov), a Nederlands Trial Register (http://

www.trialregister.nl), a UMIN Clinical Trials Registry (http://www.umin.ac.jp/

ctr) e o Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos (http://

www.ensaiosclinicos.gov.br), entre outras. O nome do estudo e sua URL, o

nome da base de registro de ensaios clínicos e sua URL , assim bem como o

número de registro do estudo devem ser descritos imediatamente após a

sessão "Declaração de Conflito de Interesses".

Estrutura geral do manuscrito

Abreviações devem ser evitadas. Porém, abreviações oficiais podem ser

usadas, desde de que a primeira menção do termo no texto seja feita de

forma completa e por extenso, seguida de sua abreviação entre parênteses.

Os autores devem usar o nome genérico dos medicamentos, ao invés de seus

nomes comerciais.

Todas as páginas devem ser numeradas, com a contagem total de palavras

indicada na primeira página (não devem ser contadas as palavras do resumo

em português e inglês, das referências e das figuras e ilustrações).

A primeira página deve conter o título, o título curto (ambos em português e

em inglês), a contagem total de palavras do manuscrito, o nome dos autores

e suas afiliações. O título do artigo não deve conter siglas ou acrônimos. O

título curto deve conter até 50 caracteres (incluindo espaços) e um máximo

de cinco palavras. Diferente do título, o título curto deve aparecer no topo de

cada página do manuscrito (no mesmo idioma que o manuscrito foi escrito).

A segunda página deve conter o resumo em português e o número de

registro do experimento (quando aplicável, ver acima). O resumo deve ser

informativo, claro e sucinto, descrevendo o conteúdo do manuscrito em até

250 palavras. Para artigos originais, relatos breves e revisões, o resumo deve

ser estruturados em 4 tópicos: objetivo(s), métodos, resultados e conclusões.

Após o resumo, devem ser incluídas até cinco palavras-chave. Estas palavras,

se possível, devem ser retiradas da lista de termos MeSH do Index Medicus

e ser escolhidas considerando sua utilidade para a localização do artigo. Para

artigos escritos em português, estes termos podem ser encontrados nos

Descritores de Ciências da Saúde, publicados pela BIREME.

A terceira página deve conter o resumos e as palavras-chave em inglês.

Ambos devem ser equivalentes às suas versões em português.

A quarta página deve conter o início ou toda a Introdução. Em artigos

originais, relatos breves e revisões, a Introdução deve ser seguida pelas

seções Métodos, Resultados, Discussão, Conclusões, Contribuições

Individuais, Conflitos de Interesses, Agradecimentos e referências; nesta

ordem. Apesar do Jornal Brasileiro de Psiquiatria não estipular um número

máximo de páginas, os autores devem sempre respeitar o número máximo

de palavras e referências permitido para cada tipo de artigo. Tabelas e figuras

devem vir após as referências, devem ser citadas no texto, e o local desejado

para sua inserção deve ser indicado no manuscrito.

Introdução - Deve incluir uma revisão sucinta de toda a literatura diretamente

relacionada ao assunto em questão, além disso, deve descrever os objetivos

do estudo.

Métodos - Deve relatar o desenho do estudo e descrever detalhadamente os

métodos empregados, de forma a permitir que outros autores sejam capazes

de replicá-lo.

Resultados - Devem ser descritos de forma lógica, sequencial e sucinta,

usando-se, ocasionalmente, o auxílio de tabelas e figuras.

Discussão - A discussão deve limitar-se a destacar as conclusões do estudo,

considerando as similaridades e diferenças dos seus resultados e daqueles

de outros autores, as implicações dos seus resultados, as limitações do seu

estudo e as perspectivas futuras.

Conclusões - Os autores devem especificar, de preferência em um único

parágrafo curto, somente as conclusões que podem ser respaldadas pelos

dados do estudo, assim como sua importância clínica (sem generalizações

excessivas).

Contribuições individuais - Nesta sessão, o manuscrito deve descrever as

contribuições específicas feitas por cada um dos autores. Para ser considerado

um autor, cada colaborador deve preencher, no mínimo, todas as seguintes

condições: (1) ter contribuído significativamente na concepção e desenho

dos estudo, ou na análise e interpretação dos dados; (2) ter contribuído

substancialmente na elaboração do artigo, ou revisado criticamente o seu

conteúdo intelectual e (3) ter aprovado sua versão final a ser publicada.

Conflitos de interesse - Cada autor deve revelar qualquer potencial conflito

de interesse (financeiro ou não) que possa ter potencial de ter enviesado o

estudo. Caso um ou mais dos autores não possuam conflitos de interesse

a serem declarados, isto deve ser afirmado explicitamente (ver seção

Declaração de Conflitos de Interesse e Suporte Financeiro)

Agradecimentos - Nesta seção, os autores devem reconhecer as assistências

pessoais e técnicas recebidas, assim como fornecer informação detalhada

a respeito de todas as fontes de financiamento ou outras formas de auxílio

econômico.

Referências - Devem seguir o estilo Vancouver("Uniform Requirements for

Manuscripts Submitted to Biomedical Journals: Writing and Editing for Medical

Publication" [http://www.nlm.nih.gov/bsd/uniform_requirements.html]),

ordenadas de acordo com a sua citação no texto. Exemplos:

Artigos:

Versiani M. A review of 19 double-blind placebo-controlled studies in social

anxiety disorder (social phobia). World J Biol Psychiatry. 2000;1(1):27-33.

Appolinario JC, McElroy SL. Pharmacological approaches in the treatment

of binge eating disorder. Curr Drug Targets. 2004;5(3):301-7.

Dekker J, Wijdenes W, Koning Y A, Gardien R, Hermandes-Willenborg

L, Nusselder H, et al. Assertive community treatment in Amsterdam.

Community Ment Health J. 2002;38:425-34.

Livros:

Goodwin FFK, Jamison KR. Manic-Depressive Illness. New York: Oxford

University Press; 1990.

Capítulos de livros:

Heimberg RG, Juster HR. Cognitive-behavioral treatments: literature

review. In: Heimberg RG, Liebowitz MR, Hope DA, Schneier FR, editors.

Social Phobia – Diagnosis Assessment and Treatment. New York: The

Guilford Press, 1995.

Referências a páginas da internet:

Associação Brasileira de Psiquiatria – Diretrizes para a Indústria da

moda. Recomendações da Comissão Técnica Brasileira de Grupos

Especializados no Estudo e Tratamento de Transtornos Alimentares. http:/

/www.abpbrasil.org.br/newsletter/comissao_ta/diretrizes_moda.pdf.

Acessado em 12 de Abril de 2007.

Tabelas e figuras:

Todas as tabelas e figuras devem seguir a formatação do estilo da APA

(Publication Manual of the American Psychological Association, Sixth Edition).

Além disso, todas devem ser numeradas com algarismos arábicos e ter suas

respectivas legendas. Devem ainda estar em formato digital próprio para a

sua reprodução. Cada tabela deve ser auto-explicativa, e não deve repetir

informações apresentadas no texto. Os lugares para a inserção das tabelas

devem ser claramente assinalados no texto.

Ilustrações e fotografias devem ser enviadas em arquivos de alta resolução,

nos formatos .tif ou .jpg.

Submissão dos manuscritos

Visando reduzir o tempo entre a submissão do manuscrito, a decisão final dos

editores, e sua eventual publicação, o Jornal Brasileiro de Psiquiatria

implementou o sistema de submissão e acompanhamento online através do

Editorial Manager (www.editorialmanager.com/jbp). Desta forma, o Jornal

Brasileiro de Psiquiatria não aceita mais manuscritos enviados por e-mail.

Todos os manuscritos, sem exceções, devem ser submetidos através do

sistema do Editorial Manager. Durante o processo de submissão, os autores

precisarão fornecer um título e um título curto (máximo de cinco palavras),

indicar o autor de correspondência, incluir um resumo conciso e uma carta de

apresentação e sugerir quatro pareceristas em potencial (atenção: os

pareceristas sugeridos não podem trabalhar na mesma instituição/

departamento, ter relações próximas ou ter publicado como co-autor de

qualquer um dos autores). Não seguir este último requerimento pode levar a

recusa do manuscrito.

Carta de apresentação

Na carta de apresentação os autores devem fornecer o nome completo e as

afiliações de todos os autores e o endereço de contato do autor para

correspondência (endereço, endereço de e-mail, telefones, fax, etc.). Além

disso, os autores devem explicar porque eles acreditam que o manuscrito

submetido é adequado para publicação no Jornal Brasileiro de Psiquiatria,

destacando sua relevância e seus aspectos inovadores. Os autores são ainda

solicitados a declarar claramente que o manuscrito submetido representa um

material original, que não foi publicado anteriormente e que não está sendo

avaliado para publicação em nenhum outro lugar.

Se os autores receberam ajuda de escritores técnicos ou revisores de idiomas

quando prepararam o manuscrito, isto deve ser explicitado na carta de

apresentação, junto com a declaração de que os autores são totalmente

responsáveis pelo conteúdo científico do manuscrito.

Para ser considerado um autor, cada colaborador deve, no mínimo, preencher

todas as seguintes condições: (1) ter contribuído significativamente na

concepção e desenho dos estudo, ou na análise e interpretação dos dados;

(2) ter contribuído substancialmente na elaboração do artigo, ou revisado

criticamente o seu conteúdo intelectual e (3) ter aprovado sua versão final

a ser publicada. A supervisão/coordenação geral do grupo de pesquisa por

si só não justifica a autoria. Participação somente na aquisição de verbas

provenientes de fontes financiadoras ou na coleta de dados também não são

suficientes para justificar autoria. A fim de garantir que todas essas condições

sejam satisfeitas, os autores são solicitados a incluir uma declaração a

respeito da autoria, descrevendo separadamente o papel de cada um dos

autores no estudo e na preparação do manuscrito. Caso esta declaração sobre

autoria não tenha sido incluída na carta de apresentação, o manuscrito não

será revisto.

Após a submissão

Revisão por pares

Após receber o manuscrito através do Editorial Manager, os editores

julgarão se ele será revisto pelos pareceristas anônimos. Sua decisão será

baseada no foco de publicação do jornal e na estrutura, originalidade e

relevância do manuscrito para o campo. Em seguida, caso os revisores

decidam assim, o manuscrito será enviado a pelo menos dois revisores

anônimos e independentes (que não são necessariamente aqueles sugeridos

pelos autores). Os editores do Jornal Brasileiro de Psiquiatria esforçam-

se para manter rápido o processo de publicação. Geralmente o período

entre a submissão e o aceite do manuscrito é de cerca de três meses. Os

autores receberão um e-mail dos editores com sua decisão final e uma

cópia dos comentários dos revisores. No caso de ter sido indicada a revisão

do manuscrito, os autores devem enviar um texto final com as alterações

necessárias (respondendo cada item levantado pelos revisores), seguindo

as instruções dadas pelos editores. Os autores devem reproduzir o item

levantado pelo revisor imediatamente antes de cada uma das suas respostas.

Enviar apenas as respostas separadas dos itens levantados pelos revisores

poderá lentificar o processo de avaliação do manuscrito. Todo este processo

pode ser acompanhado pelos autores através do Editorial Manager.

Carta de autorização

Os autores devem submeter a seguinte carta de autorização juntamente ao

manuscrito:

"Os autores abaixo-assinados aprovam, através desta, a submissão deste

trabalho e da subsequente transferência de todos os seus direitos autorais

para o Jornal Brasileiro de Psiquiatria, a fim de permitir a sua publicação. Os

autores atestam ainda que o seu trabalho representa um material original,

que não infringe nenhum direito autoral de terceiros, e que nenhuma parte

deste trabalho foi publicada ou será submetida para publicação em outro

lugar, até que tenha sido rejeitado pelo Jornal Brasileiro de Psiquiatria.

Finalmente, os autores concordam em indenizar os editores por qualquer dano

ou prejuízo secundário a quebra deste acordo. No caso do manuscrito não ser

publicado, seu direito autoral retorna a seus autores."

Todos os autores devem assinar este documento,e incluir seus nomes

completos, endereços, telefones e e-mails. Esta carta deve ser escaneada e

submetida aos editores através do Editorial Manager.

English Version

Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. . Os manuscritos devem estar acompanhados de uma carta de autorização, assinada por todos os autores, seguindo o modelo abaixo, que deve ser enviada por correio para o endereço do jornal. Uma vez aceito para publicação, torna-se o trabalho propriedade permanente do Jornal Brasileiro de Psiquiatria, que reserva todos os direitos autorais no Brasil e no exterior.

 

Carta de Autorização – Modelo:

 

"Os autores abaixo assinados transferem ao Jornal Brasileiro de Psiquiatria, com exclusividade, todos os direitos de publicação, em qualquer meio, do artigo..., garantem que é inédito, não está sendo avaliado por outro periódico e que o estudo foi conduzido conforme os princípios da Declaração de Helsinki e de suas emendas, com o consentimento informado aprovado por Comitê de Ética evidamente credenciado" (incluir nome completo, endereço postal, telefone, fax, e-mail e assinatura de todos os autores).

 

Avaliação por Pareceristas (Peer Review)

 

O(s) autor(es) receberá(ão) uma confirmação (por e-mail ou por carta) informando sobre a chegada do manuscrito e seu número de protocolo, o qual será usado durante toda a comunicação posterior. Os artigos submetidos ao Jornal Brasileiro de Psiquiatria são inicialmente avaliados quanto à sua adequação ao formato (estrutura do manuscrito) e ao escopo editorial do periódico. Os editores se reservam ao direito de recusar artigos sem uma revisão externa se julgarem que o artigo não se encaixa nos objetivos do JBP, seja por falta de qualidade ou por inadequação ao escopo do periódico. Artigos qualitativos que não representem um estudo inovador serão recusados. Após passar pelo crivo dos editores, os artigos são enviados, de forma anônima, a pelo menos dois pareceristas anônimos e independentes. A decisão final dos editores, com as cópias dos pareceres, é encaminhada aos autores. No caso de manuscritos que caiam em exigências, o(s) autor(es) deve(m) retornar uma versão final do texto incorporando as modificações solicitadas e uma carta com respostas específicas a cada ponto levantado pelos revisores. Não serão re-avaliados artigos que não sejam acompanhados por uma carta resposta detalhada ou cuja carta resposta contenha apenas comentários gerais.

 

Conflitos de Interesse:

 

Solicitamos aos autores para declarar todas as possíveis formas de conflitos de interesse, incluindo relações financeiras, entre outras. A não existência de conflito de interesse também deve ser declarada. O autor pode consultar o editorial sobre esse assunto no British Medical Journal intitulado "Beyond conflict of interest" (além dos conflitos de interesse) (http://www.bmj.com/cgi/content/full/317/7154/291). Artigos sem declarações acerca de conflitos de interesse serão enviados de volta aos autores.

As fontes de financiamento devem ser declaradas na seção de agradecimentos.

 

Permissão para Reproduzir Material Publicado Previamente

 

Solicitamos que nos envie cópias de permissão para reproduzir materiais (como ilustrações e tabelas) do proprietário do copyright. Não poderemos publicar o material sem essas permissões.

 

Termos de Consentimento

 

Os artigos devem citar que os pacientes incluídos nos estudos assinaram um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, conforme a regulamentação de pesquisa clínica no País.

 

Aprovação Ética das Pesquisas

 

Deve ser declarado claramente, na seção de Métodos, que estudo com seres humanos somente foi conduzido após a aprovação de um Comitê de Ética em Pesquisa. De forma similar, deve-se confirmar que experimentos envolvendo animais estão de acordo com os padrões éticos de cuidados com os animais envolvidos.

 

Estrutura Geral do Manuscrito

 

O arquivo deve ser produzido em Word, em Arial, tamanho 12. As abreviações deverão ser evitadas, entretanto abreviações oficiais poderão ser utilizadas, com a primeira menção no texto completa, seguida da sua forma abreviada entre parênteses. Os nomes de medicamentos deverão ser mencionados pela sua denominação química. Todas as páginas devem estar numeradas, indicando-se na primeira a contagem do número total de palavras presentes no corpo do texto (excluindo-se resumo e palavras-chave, abstract, referências, figuras e ilustrações).

 

A primeira página (folha de rosto) deve conter o título em português e em inglês e o título resumido com até 50 caracteres incluindo letras, espaços e pontuações.

 

A segunda página deve conter o RESUMO do trabalho em português. O resumo deve ser informativo, dando uma descrição clara e concisa do conteúdo do artigo, e não deve exceder o limite de 200

palavras. Nos artigos originais, nas comunicações breves e nas revisões, os resumos devem ser estruturados contendo quatro tópicos: Objetivo(s), Métodos (e não metodologia), Resultados e Conclusões. As palavras-chave deverão estar logo após o resumo, devendo ter um número máximo de 4, e refletir o conteúdo do assunto. Recomenda-se o uso de termos da lista denominada Medical Subject Headings, do Index Medicus, ou da lista de Descritores de Ciências da Saúde, publicada pela BIREME, para trabalhos em português.

 

A terceira página deve conter o título, o resumo do trabalho (Abstract) e as palavras-chave em inglês (keywords), que devem ser idênticos às suas versões em português. Os editores recomendam atenção especial a linguagem no abstract. Artigos poderão ser recusados com base na qualidade do inglês.

 

A partir da quarta página, deve-se iniciar o corpo do texto que, nos artigos originais e nas comunicações breves, deve conter as seguintes seções: Introdução, Métodos, Resultados, Discussão e

 

Conclusões. Os autores não devem incluir Resultados e Discussão em uma mesma sessão.

 

Introdução – Deve conter uma revisão sucinta da literatura diretamente relacionada com o tema, assim como o objetivo do estudo.

 

Métodos – Devem descrever o modelo do estudo e os detalhes dos métodos que permitam sua replicação por outros autores.

 

Resultados – Devem ser descritos de forma lógica, seqüencial e concisa, com o eventual auxílio de tabelas e ilustrações.

 

Discussão – Deve se limitar a ressaltar os achados obtidos, destacar as semelhanças ou diferenças com os achados obtidos por outros autores, ressaltar as implicações dos achados, suas limitações e perspectivas futuras.

 

Conclusões – Devem especificar, preferencialmente em um parágrafo curto, apenas as conclusões que os dados do estudo permitem sustentar, com seu significado clínico (evitando generalizações excessivas).

 

As tabelas e os gráficos devem ser numerados em algarismos arábicos e preparados em folhas separadas, com as respectivas legendas. Cada tabela deve conter um título descritivo e uma legenda (se necessário). As tabelas devem ser auto-explicativas e não repetir as informações já contidas no texto. Não serão aceitos gráficos do tipo histograma em estudos meramente descritivos. Os locais sugeridos para a inserção deverão ser indicados no texto, com destaque.

 

Ilustrações e fotografias devem ser enviadas em arquivos de alta resolução, em formato tif ou.jpg. A impressão de fotos em cores será cobrada do autor. Os Agradecimentos deverão incluir nomes de participantes que contribuíram intelectual ou tecnicamente em alguma fase do estudo, mas que não são classificados como autores: agradecimentos por apoio financeiro, auxílio técnico etc. devem aparecer antes das Referências.

 

Referências

As referências devem seguir o padrão estilo de Vancouver (consultar: "Uniform Requirements for Manuscripts Submitted to Biomedical Journals: Writing and Editing for Medical Publication"

[http://www.nlm.nih.gov/bsd/uniform_requirements.html]), ser numeradas no manuscrito e listadas no final na mesma ordem em que foi utilizada. Todas as citações do texto devem constar, de forma correta, na bibliografia.

 

Artigos

 

• Versiani M. A review of 19 double-blind placebo-controlled studies in social anxiety disorder (social phobia). World J Biol Psychiatry. 2000;1(1):27-33.

• Appolinario JC, McElroy SL. Pharmacological approaches in the treatment of binge eating disorder. Curr Drug Targets. 2004;5(3):301-7.

• Dekker J, Wijdenes W, Koning Y A, Gardien R, Hermandes-Willenborg L, Nusselder H, et al. Assertive community treatment in Amsterdam. Community Ment Health J. 2002;38:425-34.

 

Livro

 

• Goodwin FK, Jamison KR. Manic-Depressive Illness. New York: Oxford University Press; 1990.

 

Capítulo de Livro

 

• Heimberg RG, Juster HR. Cognitive-behavioral treatments: literature review. In: Heimberg RG, Liebowitz MR, Hope DA, Scneier FR, editors. Social phobia – Diagnosis Assessment and Treatment. The

 

Guilford Press, p. 261-309, New York, 1995.

 

Artigos aceitos para publicação (in press) podem ser incluídos na bibliografia, mas o nome do periódico deve aparecer e, se possível, o volume e o ano devem ser indicados. Referências a materiais não publicados devem ser citadas entre parênteses no texto, mas não na bibliografia. Resumos (Abstracts) podem ser citados somente quando contiverem informações substanciais e não publicadas em outras fontes. Sua natureza deve ser citada na bibliografia, com o termo adicional (Resumo) no final da referência.

 

Por exemplo: Associação Brasileira de Psiquiatria – Diretrizes para a Indústria da Moda. Recomendações da Comissão Técnica Brasileira de Grupos Especializados no Estudo e Tratamento de Transtornos

Alimentares. http://www.abpbrasil.org.br/newsletter/comissao_ta/diretrizes_moda.pdf. Acessado em 12 de abril de 2007.

 

Tipos de Artigos

 

1. Artigos originais – São trabalhos destinados a comunicar resultados de pesquisa, experiências clínicas ou outras contribuições originais. Tipicamente, os artigos originais apresentam dados novos derivados de uma investigação com um número representativo de indivíduos. Os artigos originais não devem exceder 4.000 palavras nem 30 referências bibliográficas.

 

2. Comunicação breve – Caracteriza-se por trabalhos contendo pequenas experiências ou comunicações preliminares, que tenham caráter de originalidade, não ultrapassando 2.000 palavras nem 15 referências bibliográficas.

 

3. Artigos de revisão - São revisões sistemáticas da literatura que buscam responder a uma pergunta bem delimitada. Devem conter até 6.000 palavras e 80 referências bibliográficas. Deverão apresentar: folha de rosto, resumo estruturado, introdução, métodos e discussão, conclusões e referências bibliográficas.

 

4. Artigos de atualização - São trabalhos descritivos e interpretativos baseados na literatura recente sobre a situação global em que se encontra determinado assunto. Devem conter até 3.000 palavras e 40 referências bibliográficas, devendo também ser mais breves que os artigos de revisão. Deverão apresentar: folha de rosto, resumo não necessariamente estruturado, introdução, métodos e discussão, conclusões e referências bibliográficas.

 

5. Artigos de apresentação de casos clínicos – Trabalhos contendo casos clínicos interessantes e originais. Deverão apresentar: folha de rosto, resumo, abstract, introdução, descrição do caso clínico, sua relevância e/ou originalidade, discussão, conclusão e a bibliografia consultada sobre o tema. Não deverão ultrapassar 1.500 palavras nem 15 referências. O relato do caso deve ser sucinto, apresentando uma breve revisão da literatura sobre os aspectos clínico e terapêutico, evitando-se dados redundantes ou que não contribuam para o esclarecimento do caso. A discussão deve apresentar os dados contrapondo-os (semelhanças e diferenças) com os casos semelhantes da literatura.

 

6. Cartas – Comunicações que visam a discutir artigos recentes publicados na revista ou a relatar pesquisas originais ou achados científicos significativos. Cartas breves com, no máximo, 500 palavras e até 5 referências serão consideradas, se estiver explícita a frase "para publicação".

 

7. Resenhas de livros – Resenhas breves sobre livros recentes de interesse para a área da psiquiatria. O texto deve incluir uma breve descrição da obra seguida de um conjunto de comentários críticos que forneçam uma visão geral do livro. Não devem ultrapassar 900 palavras.

 

Envio de manuscritos

 

Os manuscritos devem ser enviados para os editores Leonardo Fontenelle ou Antônio Egídio Nardi para o seguinte e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Jornal Brasileiro de Psiquiatria

Av. Venceslau Brás 71 Fundos

22290-140 Rio de Janeiro RJ

Tel.:(5521) 2295-2549 Fax: (5521) 2543-3101

 

Os manuscritos devem estar acompanhados de uma carta de autorização, assinada por todos os autores, seguindo o modelo abaixo, e que deve ser enviada por correio para o endereço do jornal (mesmo para os artigos enviados por e-mail). Uma vez aceito para publicação, torna-se o trabalho propriedade permanente do Jornal Brasileiro de Psiquiatria, que reserva todos os direitos autorais no Brasil e no exterior.

 

Carta de Autorização - Modelo

 

"Os autores abaixo assinados transferem ao Jornal Brasileiro de Psiquiatria, com exclusividade, todos os direitos de publicação, em qualquer meio, do artigo ..., garantem que o artigo é inédito e não está sendo avaliado por outro periódico e que o estudo foi conduzido conforme os princípios da Declaração de Helsinki e de suas emendas, com o consentimento informado aprovado por comitê de ética devidamente credenciado." (Incluir nome completo, endereço postal, telefone, fax, e-mail e assinatura de todos os autores.)

 

-->

INSTRUCTIONS TO AUTHORS

<!--

 

Background

 

Mission:

 

The Brazilian Journal of Psychiatry (BJP), the official journal of Institute of Psychiatry of the Federal University of Rio de Janeiro, is published regularly for more than 70 years and the most traditional psychiatric journal in Brazil. The mission of BJP is to advance the understanding and care of individuals with mental disorders through the publication of articles that discuss the relationship of psychiatry with different scientific fields, including clinical medicine, psychology, and sociology.

 

The Jornal Brasileiro de Psiquiatria accepts articles written in Portuguese, English or in Spanish, within the following categories:

a) original articles;

b) brief communications;

c) reviews;

d) updates;

e) case reports;

f) letters to the editor;

g) book reviews;

 

The original must be sent to editor Leonardo Fontenelle by the following e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. . The original must bring an authorization letter signed by all of the authors, according to the model below, and it must be sent by mail to the journal address. Once accepted for publication, the paper becomes permanent ownership to Jornal Brasileiro de Psiquiatria and all rights are reserved in Brazil and abroad.

 

Permission Letter

 

The undersigned authors transfer to the Jornal Brasileiro de Psiquiatria, with exclusivity, all the publishing rights, under any means, of the article..., here the authors guarantee that the article is neither published nor being evaluated by other periodicals, moreover that the study was conducted in accordance to the principles of the Declaration of Helsinki and its amendments, including informed consent approved by a properly qualified ethics committee."(Include complete name, address for postage, telephone, fax, e-mail and signature of all the authors).

 

Peer Review

 

Authors will receive, through e-mail or letter, a confirmation note and a protocol number upon the manuscript’s arrival. The number shall be used throughout the following correspondence. Articles submitted to the Jornal Brasileiro de Psiquiatria are primarily evaluated for its structure and the publishing scope of the journal. The editors reserve the right to reject articles without an external review if they believe that the work does not fit the goals of BJP, either because of poor quality or inadequate content. Qualitative studies that do not pose a groundbreaking hypothesis will be refused. After being evaluated by the editors, articles are submitted anonymously to at least two anonymous and independent reviewers. Authors will receive the editors’ final decision, along with copies of the reviewer’s comments. In case of manuscripts that fall on demand, authors must return the final text with necessary changes, according to the editor’s instructions, and a letter describing the specific answers to each point raised by the reviewers. Articles that are not accompanied by a detailed response letter or whose response letter contains only general comments will not be sent to re-review.

 

Disclosures

 

The authors are requested to disclose all possible kinds of conflict of interest, including sources of funding and any other relationship. If you are sure you do not have any disclosure, please state "none" under "Disclosures". You can read an editorial about the subject, entitled Beyond conflict of interest, in the British Medical Journal available at: http://www.bmj.com/cgi/content/full/317/7154/281. Do not forget sources of funding must be disclosed under "Acknowledgments". Articles that contain no statement regarding disclosure will be sent back to authors.

 

Permission to Reproduce Materials Previously Published

 

The authors are requested to send us permission copies to reproduce materials (i.e., illustrations and tables) from copyright owner. Your reports will not be published unless we have got that permission.

 

Consent Terms

 

The reports must mention that patients included in studies gave an Written Informed Consent, according to clinical research regulation in the country.

Research Ethical Approval

The authors are requested to state clearly under "Methods"that any study of humans has been conducted only after approval by a Research Ethical Board. Also, they must confirm animal trials are in accordance with ethical care standards to animals involved.

 

Overall Structure of the Manuscript

 

Abbreviations should be avoided; official abbreviations, however, may be used, keeping in mind that the first mention of a term in the text must be complete, followed by its abbreviation between brackets. Medicines must be referred to under their chemical name.

 

All pages must be numbered, with total words count indicated at the first page (except for abstracts, in Portuguese and English, references, pictures and illustrations).

The first page (cover page) should contain both Title and Short Title in English and in Portuguese. The Short Title should contain a total of up to 50 characters (with spaces).

The second page must contain an abstract in Portuguese. Non-Portuguese speakers may request help from the editorial board regarding Portuguese language in the abstract. The abstract must be informative, giving a clear and concise description of the article’s content, never exceeding the limit of 200 words. In original articles, brief communications and reviews, summaries must be structured containing four topics: objective(s), methods, results and conclusions. Key words in Portuguese should follow the summary and be limited to four words reflecting the content of the article’s subject. We recommend the terms presented at the list entitled Medical Subject Headings from the Index Medicus or, forarticles in Portuguese, at Descritores de Ciências da Saúde, published by BIREME.

The third page must contain an abstract and key words, in English, which must be both identical to their versions in Portuguese.

From the fourth page on begin the body of text which in original articles and brief communications, must contain the following sections: Introduction, Methods, Results, Discussion and Conclusions. The authors should not mix Results and Discussion in the same session.

 

Introduction – Must contain a concise review of any literature directly related to the theme, as well as the aim of the study.

 

Methods – Must describe the model of study and a detailed account of methods that permit its replication by other authors.

 

Results – Must be described logically, sequentially and concisely, with the occasional help of tables and illustrations.

 

Discussion – The discussion must be limited to highlighting the conclusions of the study, consider any similarities or differences with the results of other authors, implications of the findings, limitations and future perspectives.

 

Conclusions – One must specify, preferentially in a short paragraph, solely the conclusions the study data allow to support, together with their clinical significance (avoiding excessive generalizations).

 

Tables and illustrations must be numbered in Arabic numerals, and prepared in separate paper sheets, with the respective captions. They should be in a digital format and independent file, proper for reproduction. Each table must be self-explanatory, and must not repeat the information already present in the text. Places for table’s insertion must be clearly indicated in the text. Histograms describing results from descriptive studies will not be accepted.

 

Illustrations and photographs must be sent in high resolution files, format.tif or.jpg. Printing will be charged on the authors.

Acknowledgements must be mentioned before references.

 

References

References must be presented in Vancouver stile ("Uniform Requirements for Manuscripts Submitted to Biomedical Journals: Writing and Editing for Medical Publication" [http://www.nlm.nih.gov/bsd/uniform_requirements.html]), in the same order to quoted in the text, as in the example.

 

Article

 

• Versiani M. A review of 19 double-blind placebo-controlled studies in social anxiety disorder (social phobia). World J Biol Psychiatry. 2000;1(1):27-33.

• Appolinario JC, McElroy SL. Pharmacological approaches in the treatment of binge eating disorder. Curr Drug Targets. 2004;5(3):301-7.

• Dekker J, Wijdenes W, Koning Y A, Gardien R, Hermandes-Willenborg L, Nusselder H, et al. Assertive community treatment in Amsterdam. Community Ment Health J. 2002;38:425-34.

 

Book

• Goodwin FFK, Jamison KR. Manic-Depressive Illness. New York: Oxford University Press; 1990.

 

Book chapter

• Heimberg RG, Juster HR. Cognitive-behavioral treatments: literature review. In: Heimberg RG, Liebowitz MR, Hope DA, Scneier FR, editors. Social Phobia – Diagnosis Assessment and Treatment. New

 

York: The Guilford Press, 1995.

In press articles may be included in the bibliography, but they must show the periodical name, with volume and year indicated. Unpublished material may be cited in parentheses in the text, but should not be listed in the bibliography. Abstracts may be cited only when they contain substantial information that is not published elsewhere. Their nature must be cited in the bibliography by adding the term (Abstract) at the end of the reference.

 

References to web pages must be listed as followed: Associação Brasileira de Psiquiatria – Diretrizes para a Indústria da moda. Recomendações da Comissão Técnica Brasileira de Grupos Especializados no Estudo e Tratamento de Transtornos Alimentares. http://www.abpbrasil.org.br/newsletter/comissao_ta/diretrizes_moda.pdf. Accessed on April 12, 2007.

 

Types of Articles

 

1. Original articles – Manuscripts communicating results of research, clinical experiences or other original contributions. Typically, the original articles present new data derived from an investigation done with a representative number of individuals. The original articles must not exceed 4,000 words and 30 bibliographic references.

 

2. Brief communications – Characterized by manuscripts containing small experiences or preliminary communications with original character, never longer than 2,000 words and with 15 bibliographic references.

 

3. Review articles - Systematic reviews of the literature that attempt to answer a well-defined question. They should contain a maximum of 6,000 words and 80 bibliographic references. They should have front page, structured abstract, introduction, methods and discussion, conclusions and bibliographic references.

 

4. Updating articles - Descriptive and interpretative works based on recent literature about the current status of a given subject. They should contain no more than 3,000 words and 40 bibliographic references and must be briefer than review articles. They should have front page, abstract (not necessarily structured), introduction, methods and discussion, conclusions and bibliographic references.

 

5. Case reports – Manuscripts containing interesting and original clinical cases. They should contain: front page, summaries, introduction, description of the case, its relevance and/or originality, discussion, conclusion and bibliography on the theme. They should not exceed 1,500 words and 15 references. The description of the case must be brief, with a review of the literature about clinic and therapeutic aspects, avoiding redundant or unimportant data. The discussion must have the data in comparison and contrast with similar cases present in literature.

 

<p class="x_MsoNormal" style="margin: 0