COMUNICADO
Informamos que a partir do mês de abril de 2017, o ambulatório geral do IPUB não fará mais agendamento de consulta de primeira vez para novos pacientes.
Os interessados deverão se encaminhar para as Unidades Básicas de Saúde (Clínicas de Família/ Postos de Saúde), próximas à sua residência, para solicitar avaliação pela equipe de referência.
Contamos com a compreensão de todos.

 

Linhas de Pesquisa e Projetos

Epilepsia: aspectos clínicos e morfofuncionais
Grupo de projetos de natureza interdisciplinar e interdepartamental para avaliar: -influência: aspectos sono (micro e macroestrutura) / comorbidades do sono / fatores psicogênicos. - ação da Estimulação Magnética Transcraniana.

Epilepsia: aspectos psicossociais e epidemiológicos
Grupo de projetos de natureza interdisciplinar/interdepartamental (Neurologia, Pediatria, Psiquiatria, Psicologia e Saúde Pública/Neurociências) para avaliar: -cognição por testes neuropsicológicos de pacientes com epilepsia 1a ou do lobo temporal; -ajuste social / qualidade de vida / auto-eficácia; -comorbidade psiquiátrica, especialmente transtorno do déficit de atenção e estresse pós-traumático; -práticas, clientela de médicos de família da Atenção primária à saúde.

Coordenadora: Professora Marleide Gomes
Laboratório de transtorno bipolar
Coordenador: Elie Cheniaux

Pesquisadores: Elie Cheniaux (docente do PROPSAM), Fernanda Novis (aluna do mestrado), Luciana Angélica Silveira (estágio probatório do mestrado); Ana Letícia Nunes (estágio probatório do mestrado), Karoline Cornejo (estágio probatório do mestrado), Evelyn Vieira (estágio probatório do mestrado), Luciana Brooking (estágio probatório do doutorado), Rafael Assis da Silva (estágio probatório do mestrado), Paola Anaquim (estágio probatório do mestrado), Carolina Vasconcelos (médica-residente), José Luiz Martins Lessa (médico do IPUB).

Descrição:
O objetivo dessa linha de pesquisa é o estudo dos aspectos clínicos e epidemiológicos do transtorno bipolar. Um grupo de pacientes com este diagnóstico é atendido regularmente pelos pesquisadores (orientadores e alunos do mestrado, do doutorado e da residência-médica) no ambulatório de pesquisa, no hospital-dia e na enfermaria do instituto. São aplicados diversos instrumentos de avaliação clínica.

Estudos em desenvolvimento:
fenomenologia da mania, evolução do transtorno bipolar, distúrbios da atenção na mania e na depressão, psicoeducação no transtorno bipolar, especificidades do transtorno bipolar no sexo feminino, a distinção entre depressão unipolar e depressão bipolar, terapia cognitiva no transtorno bipolar, variações do óxido nítrico no transtorno bipolar, variações dos hormônios tireoidianos no transtorno bipolar, reabilitação cognitiva no transtorno bipolar, transtorno bipolar e família, ciclagem rápida, estados mistos, transtorno bipolar e catatonia, o uso da lamotrigina na depressão bipolar, mania crônica, transtorno bipolar e personalidade, terapia cognitiva no transtorno bipolar, eletroencefalografia no transtorno bipolar.

Produção bibliográfica - Artigos completos publicados em periódicos


CHENIAUX, E.

A MANIA ANSIOSA OU DEPRESSIVA DE KRAEPELIN: RELATO DE UM CASO. Revista Brasileira de Psiquiatria (São Paulo. 1999. Impresso). , v.33, p.214 - 215, 2011.
Velasques, Bruna, Machado, Sergio, Paes, Flávia, Bittencourt, Juliana, Domingues, Clayton Amaral, Basile, Luis F., Salles, José I., Cagy, Mauricio, Piedade, Roberto, Arias-Carrión, Oscar, Sack, Alexander T., CHENIAUX, E., Nardi, Antonio Egídio, Ribeiro, Pedro Hemispheric differences over frontal theta-band power discriminate between stimulus- versus memory-driven saccadic eye movement. Neuroscience Letters (Print). , v.504, p.204 - 208, 2011.

CHENIAUX, E.

O tratamento farmacológico do transtorno bipolar: uma revisão sistemática e crítica dos aspectos metodológicos dos estudos clínicos modernos. Revista Brasileira de Psiquiatria (São Paulo. 1999. Impresso). , v.33, p.72 - 80, 2011.

Costa, Rafael T., CHENIAUX, E., Rosaes, Pedro Augusto L., Carvalho, Marcele R., Freire, Rafael Christophe da Rocha, VERSIANI, Marcio, Rangé, Bernard P., NARDI, A. E.

The effectiveness of cognitive behavioral group therapy for bipolar disorder: a randomized controlled study. Revista Brasileira de Psiquiatria (São Paulo. 1999. Impresso). , v.33, p.144 - 149, 2011.

VERSIANI, Marcio, CHENIAUX, E., LANDEIRA-FERNANDEZ, J.

The efficacy and safety of electroconvulsive therapy in the treatment of bipolar disorder: a systematic review. The Journal of ECT. , v.27, p.153 - 164, 2011.

Woodruff, Erica, GENARO, Larissa T., Landeira-Fernandez, Jesus, Cheniaux, Elie, Laks, Jerson, JEAN-LOUIS, Girardin, Nardi, Antonio E., Versiani, Márcio C., Akiskal, Hagop S., MENDLOWICZ, Mauro V.

Validation of the Brazilian brief version of the temperament auto-questionnaire TEMPS-A: The brief TEMPS-Rio de Janeiro. Journal of Affective Disorders (Print). , v.134, p.65 - 76, 2011.

Novis, Fernanda, CHENIAUX, E., LANDEIRA-FERNANDEZ, J., VERSIANI, Marcio

A 5 year follow-up study of 11 patients with bipolar disorder. Jornal Brasileiro de Psiquiatria (UFRJ. Impresso). , v.59, p.219 - 222, 2010.

CHENIAUX, E., LANDEIRA-FERNANDEZ, J., VERSIANI, Marcio

The diagnoses of schizophrenia, schizoaffective disorder, bipolar disorder and unipolar depression: interrater reliability and congruence between DSM-IV and ICD-10. Psychopathology. , v.42, p.293 - 298, 2009.

CHENIAUX, E., LANDEIRA-FERNANDEZ, J., TELES, Leonardo Lessa, LESSA, José Luiz M, DIAS, Allan, DUNCAN, T., VERSIANI, Marcio

Does schizoaffective disorder really exist? A systematic review of the studies that compared schizoaffective disorder with schizophrenia or mood disorders. Journal of Affective Disorders. , v.106, p.209 - 217, 2008.

CHENIAUX, E., DIAS, Allan, LESSA, José Luiz M, VERSIANI, Marcio

A lamotrigina pode induzir virada maníaca?. Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul. , v.27, p.206 - 209, 2005.
Laboratório de Neuropsiquiatria Geriátrica
Coordenação Geral: Prof. Dr. Jerson Laks
Objetivo: Estender e aprofundar o conhecimento dos quadros neuropsiquiátricos em idosos, para discutir a clínica, epidemiologia, indicadores de desfecho e estratégias terapêuticas otimizadas (medicamentosa, cognitiva, comportamental, orientação de pacientes/cuidadores) visando a melhora de qualidade de vida dos pacientes e de seus familiares/cuidadores.

Linhas de Pesquisa


Prof. Dr. Jerson Laks

Biomarcadores liquóricos e cortisol na depressão e na doença de Alzheimer no idoso. Estudo de beta-amiloide, pTAU e Tau total no líquor de idosos com depressão e doença de Alzheimer. Avaliar a evolução de quadros depressivos nos quais esses marcadores são limítrofes ou já seriam indicativos de Doença de Alzheimer pré-clínica.

Transtorno Bipolar em Idosos

Estudo clínico, neuropsicológico de neuroimagem e evolutivo com pacientes bipolares idosos.

Validação de Escalas para uso em Neuropsiquiatria Geriática.

Até agora foram validados AD8 Brazil, TEMPS-A BR. Em andamento a Geriatric Anxiety Scale e NPI-C. Parcerias com Recife, Porto Alegre e Campinas.

Epidemiologia do envelhecimento

Estudo do processo de envelhecimento de indivíduos com 55 anos ou mais na comunidade, com marcadores psicossociais, clínicos, nutricionais e eventos de vida pregressa. Foco no envelhecimento bem sucedido e na Síndrome de Fragilidade.

Estudos transculturais na depressão e na demência

Parceria com o Centro Saúde e Envelhecimento da Universidade de Oslo.

Psicoeducação para profissionais e instituições de longa permanência para idosos.

Aplicação do protocolo STAR, de Linda Teri, para avaliação de desfecho dos sintomas neuropsiquiátricos em pacientes com demência e sobre o estresse do cuidador.

Qualidade de vida no idoso

Estudos com SF 36 e coping/resiliência em idosos com e sem problemas neuropsiquiátricos.

Avaliação neuropsicológica de idosos com depressão maior, doença de Alzheimer e doença de Parkinson

Avaliação das funções cognitivas de idosos com Doença de Parkinson, Doença de Alzheimer, Depressão e idosos controles saudáveis através de testes neuropsicológicos

Prof. Dr. Eliasz Engelhardt


Neuropsicologia de Doenças Neurológicas e Psiquiátricas

Estudo de funções/disfunções cognitivas com utilização de bateria de testes neuropsicológicos em pacientes neurológicos e psiquiátricos

Avaliação Neuropsiquiátrica das Doenças Cerebrovasculares e da Demência Mista

Estudo do espectro Comprometimento Cognitivo Vascular (CCV)/Demência Vascular (DV) decorrentes de doença cerebrovascular (DCV) devida a desordens variadas.

Profa. Dra. Andrea Camaz Deslandes

Site: www.laboratoriolanex.com

Efeito do exercício físico na saúde mental

Estudo do efeito do exercício físico na saúde física e mental

Efeito do Exercício Físico no tratamento da Depressão Maior em Idosos

Estudo do o efeito do exercício físico na saúde física e mental em idosos deprimidos através de parâmetros eletroencefalográficos (EEG), eletrocardiográficos (ECG), neuropsicológicos, funcionais e comportamentais.

Efeito do Exercício Físico no tratamento da Doença de Alzheimer

Estudo do efeito do exercício físico nas funções cognitivas, funcionais, eletroencefalográficas e na volumetria hipocampal através de RMf de pacientes com demência.

Efeito do Exercício Físico no tratamento da Doença de Parkinson

Estudo do efeito do exercício físico na saúde física, mental e qualidade de vida de parkinsonianos através de parâmetros neuropsicológicos, funcionais, motores e comportamentais.

Profa. Dra. Marcia Cristina Nascimento Dourado


Consciência da doença na demência

Avaliação da capacidade de reconhecimento dos déficits cognitivos e funcionais causados pela demência.

Repostas Emocionais à demência

Estudo da relação entre reconhecimento das alterações causadas pela demência e a presença de reações emocionais.

Satisfação sexual na demência
Avaliação da satisfação sexual e relação com a sobrecarga de cuidados em casais, nos quais um dos cônjuges possua demência.

Reconhecimento facial na demência

Avaliação da capacidade de reconhecimento de diferentes expressões faciais por parte de pessoas com demência.

Capacidade decisória na demência

Avaliação da capacidade de tomada de decisão na demência.
Pesquisa em Psiquiatria Forense
Coordenador: Prof. Alexandre Valença

Delitos Sexuais e Transtornos Mentais e de Personalidade

Objetivos: Estudar variáveis sócio-demográficas e clínicas de pacientes com transtornos mentais que se encontram cumprindo medida de segurança no Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico Henrique Roxo-Niterói-RJ, em virtude de terem perpetrado crimes sexuais. Outro objetivo é verificar quais os principais tipos de crimes sexuais que foram perpetrados, e que vítimas foram atingidas. Também serão estudados laudos periciais de indivíduos que perpetraram delitos sexuais.

A Responsabilidade Penal na Doença Mental


Objetivos:
Estudar e aplicar o conceito de responsabilidade penal em indivíduos que após perpetrarem algum tipo de delito foram submetidos a uma perícia criminal, com objetivo de se avaliar a capacidade de entendimento e determinação. Estudo retrospectivo de casos e de laudos de perícia criminal.

Psicopatologia e Violência


Objetivos:

Estudar os principais fatores e contextos associados ao comportamento violento, na vigência de doença mental, como o diagnóstico psiquiátrico, presença de sintomatologia psicótica, uso de álcool e substâncias psicoativas, história de violência prévia e vítimas atingidas.

Gênero e Violência


Objetivos: 
Estudar a relação entre comportamento violento e gênero, comparando a frequência e gravidade do ato violento, manifestações psicopatológicas e vítimas atingidas, quando esses atos são praticados por homens ou mulheres com transtornos mentais.

Alunos Pesquisadores envolvidos

Ruy Justo Carneiro Cutrim Júnior- em estágio probatório para mestrado no IPUB
Giulia Mirando Rosa Santoro
Flávia Franco
Raíssa Batista Barboza 
Transtorno de Pânico: avaliação e tratamento
Coordenadores: Prof. Antônio Egídio Nardi e Adriana Cardoso de Oliveira e Silva

O grupo tem se destacado como referência nos estudos sobre aspectos diagnósticos e tratamento, por meio de diferentes recursos, do transtorno de pânico com e sem agorafobia, tendo publicações regulares em periódicos nacionais e internacionais. Entre os tópicos desenvolvidos nessa linha de pesquisa, destacam-se: diagnóstico do transtorno de pânico; descrição de subtipos do transtorno de pânico; relação entre ataques de pânico e outros quadros clínicos (doenças respiratórias, cardiovasculares, vestibulares, etc.); adaptação/ desenvolvimento de instrumentos psicométricos para transtorno de pânico; avaliação fisiológica dos ataques de pânico; técnicas de neuroimagem e transtorno de pânico; avaliação de resposta à diversos métodos terapêuticos (psicofarmacologia, terapia cognitivo-comportamental, realidade virtual etc.).

Site:
http://www.labpr-ufrj.com
Mapeamento Cerebral e Integração Sensório-Motora
Coordenador: Pedro Ribeiro

O Laboratório de Mapeamento Cerebral e Integração Sensório-Motora (LABMCISM) tem seu foco de investigação voltado para o entendimento dos mecanismos cerebrais envolvidos no processo de integração sensório-motora. Neste âmbito pesquisadores do INA conduzem diversos experimentos envolvendo tarefas que contribuem para o avanço deste campo. Em especial, a área de Integração Sensório-Motora envolve conceitos como atenção, neuroplasticidade, memória (explícita/implícita), diversas neuropsicopatologias associadas, aprendizagem e controle motor. No presente momento o laboratório busca ampliar seu foco de atuação através da incorporação de novas tecnologias e investigações envolvendo psicopatologias.
Clínica - Coordeandor: Prof. Leonardo Franklin da Costa Fontenelle
Diferentes aspectos clínicos dos transtornos de ansiedade são investigados por nosso grupo. No momento, estão sendo avaliados os correlatos clínicos e neuropsicológicos de diferentes dimensões de sintomas de pacientes com transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Além disso, utilizando o banco de dados do Consórcio Brasileiro de Pesquisa de Transtornos do Espectro Obsessivo-Compulsivo (CTOC), fruto de uma colaboração de nosso grupo com outros centros brasileiros, estamos investigando as características clínicas de pacientes que desenvolvem o TOC após um evento traumático e após 40 anos de idade.
Comorbidades neuropsiquiátricas
Coordeandor: Prof. Leonardo Franklin da Costa Fontenelle
Temos interesse no estudo de diferentes condições psiquiátricas associadas aos transtornos de ansiedade. Investigamos o impacto do TOC em indivíduos sob risco elevado de apresentar diferentes transtornos psicóticos. Investigamos também diferentes tipos de sintomas obsessivo-compulsivos em pacientes com disfunções de circuitos que envolvem os núcleos da base. Com isso, pretendemos entender melhor a fisiopatologia do TOC primário. Finalmente, ainda no âmbito das comorbidades, avaliamos a prevalência de ansiedade social em pacientes com hiperidrose primária, que podem compartilhar, em alguns casos, mecanismos fisiopatológicos.
Cognição - Coordeandor: Prof. Leonardo Franklin da Costa Fontenelle
O estudo da cognição de pacientes com TOC foi uma das primeiras linhas de pesquisa desenvolvidas por nosso grupo. Demonstramos, por exemplo, que pacientes com TOC e um excesso de erros perseverativos respondem melhor ao tratamento com inibidores da recaptação da serotonina. Altualmente, estamos interessados na identificação de um viés atentivo em pacientes com TOC. Pretendemos desenvolver um protocolo de tratamento do TOC que utilize, como abordagem primária, uma intervenção no âmbito da atenção.
Neurobiologia - Coordeandor: Prof. Leonardo Franklin da Costa Fontenelle
Temos interesse no estudo de diferentes correlatos da impulsividade em pacientes com TOC resistente ao tratamento, incluindo características de neuroimagem, neuropsicológicas, imunológicas, genéticas e resposta terapêutica a um antagonista opióide (naltrexona). Este estudo incluirá avaliação dos pacientes com neuroimagem estrutural (DTI) e funcional (rs-fMRI), testes do Cambridge Automated Neuropsychological Test Battery (CANTAB), dosagem sérica de fatores neurotróficos (BDNF, GDNF e NGF), citocinas, interleucinas, e diferentes polimorfismos genéticos, incluindo aqueles que interessam a neurotransmissão opioidérgica.
Laboratório de Avaliação de Serviços e Qualidade de Vida em Saúde Mental (LAPSO)
Coordenador: Profa. Maria Tavares Cavalcanti

O Laboratório de Avaliação de Serviços e Qualidade de Vida em Saúde Mental (LAPSO) inciou suas atividades em 1996 com a participação em um estudo multicêntrico da OMS de adaptação transcultural e validação de um questionário de avaliação da satisfação de usuários e familiares com serviços de saúde mental. Desde então vem desenvolvendo projetos na área de avaliação de serviços de saúde mental, sempre procurando conjugar a avaliação com a clínica desenvolvida pelos serviços. . Ao longo dos anos 2000, realizamos alguns estudos de avaliação dos Centros de Atenção Psicossocial no muncipio do Rio de Janeiro com financiamento da FAPERJ e estudos referentes a Serviços Residenciais Terapêuticos. A partir de 2000 passamos a desenvolver também o Programa de Reabilitação Psicossocial para Pacientes com Transtornos Mentais Maiores em Situação de Rua, programa este que foi duplamente premiado pelo Ministério da Saúde e pela ABP/Lily como uma experiência exitosa de reabilitação psicossocial em saúde mental. Em 2009/2010, adaptamos com financiamento do CNPq, uma intervenção para a manutenção de pacientes com transtornos mentais severos e persistentes na comunidade, desenvolvida na Universidade de Columbia/NY denominada "Critical Time Intervention" (CTI), criando aCTI CTI-Br.

Atualmente o LAPSO faz parte da RedeAmericas, uma rede para desenvolvimento e promoção de pesquisas no campo da saúde mental na America Latina, financiada pelo NIMH, e que congrega pesquisadores do Brasil Chile, Argentina, Colombia e Estados Unidos. Esta rede tem o objetivo de capacitar jovens lideres de pesquisa para atuarem no campo de pesquisas em saúde mental, a fim de fortalecer esse campo na America Latina, além de implementar e testar estratégias de intervenção para a manutenção de pacientes com transtornos mentais graves na comunidade.

No momento estamos desenvolvendo também, em parceria com a SMSDC/RJ, uma pesquisa de avaliação da tranferencia de 80 idosos internados há mais de 30 anos na Colonia Juliano Moreira para uma Vila Residencial (2012/2013).

Pesquisadores:
Maria Cecilia de Araujo Carvalho (EPJV/FIOCRUZ), Paulo Fagundes (FIOCRUZ)

Alunos:
Doutorado: Catarina Magalhães Dahl
Mestrado: Tania Kuperman e FlaviaMitkiewicz
Iniciação Cientifica: Joana Moscoso teixeira Mendonça

Violências, Comunicação e Saúde Mental.
Coordenadora: Prof.ª Lígia Costa Leite
Registro Sigma 21117

Trata-se de um Programa de pesquisa, ensino e extensão que dá continuidade e amplia o Programa Evasão escolar, drogas, criminalidade: os descaminhos na adolescência e suas articulações com as questões do sujeito, desenvolvido no IPUB desde 2002. Ele se propõe a abranger, não apenas os adolescentes desafiliados, como também os adultos que vivenciam pessoalmente ou trabalham com o tema da violência e suas repercussões. Ainda que este público possa não estar desafiliado, muitas vezes ele se encontra em situação de vulnerabilidade psíquica, sem apresentar transtornos psiquiátricos graves. Portanto, o público alvo inclui todos aqueles que se estão suscetíveis, em algum nível, ao sofrimento psíquico e desgaste mental em função do trabalho que desenvolvem.

Este Programa se propõe a coletar histórias de vida através das narrativas dos sujeitos envolvidos nos campos onde cada pesquisa for realizada e tem como referencial teórico a Teoria da Comunicação para análise dos dados coletados pelo método da história oral. A partir dos resultados de cada grupo investigado são propostas linhas de ação que irão fornecer subsídios às políticas públicas, à elaboração dos currículos escolares, entre outros.

Outra vertente deste programa refere-se à utilização das abordagens da Reabilitação Psicossocial em grupos clínicos de intervenção terapêutica para os jovens, adultos e profissionais que enfrentam ou convivem com todos os tipos de violências nos ambientes onde circulam. São elas: física, psíquica, simbólica e, especialmente, a violência silenciosa que sobrepõe às demais formas e que, muitas vezes, é naturalizada por quem a vivencia. Este aspecto extensivo do Programa ajuda simultaneamente a qualificar como a fortalecer a saúde mental do público pesquisado.